Confira o que sai na mídia sobre o Colégio Prince [+]

Matéria Aniversário Prince





Programa Portfólio





Colégio Prince se destaca em evento esportivo

Com uma representação de 52 atletas no VIII Circuito Estadual de Escolinhas de Natação, o Colégio Prince mostrou que a escola aumentou não só em número de alunos, como também de atletas. Um dos grandes destaques da escola foi a aluna Maria Fernanda Pontes (8), que ganhou uma medalha de prata na modalidade Costas e uma de bronze na Crawl. Quem também se sobressaiu na competição foi a atleta Maria Clara Ferreira (5), que foi a melhor colocada em sua categoria (mini-mirim).

Confira a notícia por completo Aqui


Hora do desmame

Após meses acalentando e ao mesmo tempo alimentando o bebê em seus braços, direto do peito, toda mãe se vê diante do primeiro desafio no processo de criação familiar: trocar a amamentação por uma alimentação externa - a que se convencionou chamar de "alimentação complementar". Mas não é, e nem deve ser, uma separação abrupta. São etapas delicadas e ao mesmo tempo simples de serem seguidas. A nova fase oferece à criança um aprendizado alimentício que pode lhe ser útil durante toda a vida. Educação alimentar é algo que também pode ser adquirido desde o berço.

A alimentação complementar é normalmente iniciada a partir dos seis meses de vida da criança, um período em que apenas o leite materno não atende mais às necessidades nutricionais do bebê. "A introdução aos novos alimentos deve ser realizada de forma gradual e sem rigidez de horários", afirma a nutricionista Jocélia Guedes. Ela trabalha diretamente com alimentação infantil em creches e escolas, e sabe que a questão também envolve a formação de futuros hábitos alimentares, daí a necessidade de atenção especial. "Neste período, além de nutrir a criança, também se está formando hábitos. Que sejam então hábitos saudáveis", ressalta.

Confira a notícia por completo Aqui

--

 

Páscoa nas escolas

Mostrar para as crianças que a data tem um significado importante, que vai além do consumo desenfreado de ovos de chocolate, é o grande desafio das escolas

Para chamar a atenção dos pequenos, escolas procuram priorizar os significados morais e religiosos relacionados à data, com o cuidado de não deixar de lado as atividades lúdicas.  A Páscoa é um evento importante para a sociedade brasileira, constituindo-se como a principal comemoração para os católicos (maioria religiosa em nosso país). Na escola, o tema deve ser trabalhado com cuidado, sem frivolidades.

A diretora do Colégio Prince, Silvia Helena Maia, conta que a data é comemorada com interatividade e aprendizado. “Buscamos mostrar para nossas crianças o verdadeiro sentido da páscoa para que elas entendam que o mais importante nesse período pascal não é o coelho e ovos de chocolate, e sim Jesus Cristo ressuscitado”, explica a diretora que costuma fazer lanches coletivos com as turmas e distribuir suco de uva e pão de queijo, para representar o pão e o vinho.

Já a coordenadora pedagógica do Prince, Claudia Silva, diz que é um momento de explicar conceitos que envolvem o cristianismo, sem perder de vista o contexto em que vivem as crianças. “Organizamos uma aula de culinária, na qual as crianças podem fazer seus próprios chocolates e contratamos um ator que vai se vestir de coelho para receber as crianças” e também um grupo teatral para encenar a peça “A Onça, o Bode e o Coelho”, no próximo dia 4 de abril, além de atividades artísticas, explica a coordenadora.

--

24 de Março de 2012 (sábado)
Fonte: Tribuna do Norte

Escolas implantam aula de música na grade curricular

Com objetivo de tornar o aluno mais sociável e expressivo, escolas começam a implantar a aula de música cada vez mais cedo na grade curricular. Com a modalidade é possível despertar, estimular e desenvolver aspectos cognitivos e sociais dos alunos. Quanto ao crescimento da expressividade musical, consciência corporal, percepção, prontidão, sensibilidade rítmica e auditiva, criatividade e entrosamento, respeito mútuo e cooperação do trabalho em equipe, entre outros.



Depois de uma experiência bem sucedida durante os quatro anos em que oferece o ensino de música, a diretora do Colégio Prince, Silvia Helena Maia, resolveu incluí-lo também no currículo do berçário (bebês de seis meses a dois anos) e, desde fevereiro, os pequenos contam com aulas semanais da disciplina.

Apesar de terem tido poucas aulas, as mamães já começam a observar os resultados nos pequenos. A jornalista e estudante do curso de Direito, Andréa Souto Maior explica que sua filha, Sofia Souto Maior (1 ano e 4 meses) já começou a se mostrar mais sociável e desinibida para dançar, falar e cantar. "Percebi uma mudança significativa no comportamento de Sofia, inclusive quando se trata da música. Ela segura copo e começa a bater no chão ou na mesa, aparentemente em ritmo musical, tentando reproduzir os ensinamentos da escola", conta.

A professora de música da escola, Vitória Raquelline, diz que a mesma mudança foi observada nas demais crianças. "Na primeira aula, observamos que eles apenas olhavam, não queriam pegar os instrumentos", lembra a professora, que comemora o fato de hoje eles tentarem imitar os sons apresentados durante a aula, seja com instrumentos, corpo ou voz.

Nesta idade, de acordo com a professora de música, o aprendizado ocorre através da imitação. "Procuramos deixar as crianças ainda mais envolvidas utilizando instrumentos do uso diário delas, como um copo, que é capaz de produzir ruídos que podem se transformar em música", disse.

Toda semana, Vitória Raquelline traz um novo instrumento para apresentar a turminha. "Esta última, trouxe um reco-reco. Mas sempre utilizamos o caxixi, o ganzá e copos, além da flauta que toco para o som ficar ainda mais bonito e parecido com as músicas que eles gostam", lembra.

Na opinião da psicóloga, Clayre Mariana Correia, a música expressa emoções que muitas vezes não consegue com palavras. "O trabalho de musicalização no contexto escolar pode ajudar a criança a se desinibir e a trabalhar sua auto-estima, além de ser bastante positivo no processo no momento da alfabetização". Com relação ao aprendizado, Vitória Raquelline explica que é um processo de construção do conhecimento, no qual eles aprendem a ouvir, perceber, descobrir, imitar, explorar, conhecer, criar e até a sentir a música. "Esse trabalho desenvolve a linguagem gestual, a construção do esquema corporal, a socialização e a movimentação natural de cada um", finaliza a professora.

--

11 de abril de 2010 (domingo)
Fonte: Tribuna do Norte

Entre os dias 17 e 19 de junho, o Colégio Prince realiza mais uma edição dos Jogos Internos. Os professores de todas as modalidades já começaram a preparar suas equipes. Este ano, nem mesmo as criancinhas de 1 e 2 anos vão ficar de fora, pois a escola preparou modalidades para todas as faixas etárias. Para os mais novinhos, haverá a corrida do engatinhado, corrida de velocípedes, corrida com bexiga de água nas mãos, entre outros. Já os maiores podem se inscrever no futsal, handebol, karate, natação, entre outros.

Segundo a educadora física e coordenadora de esportes da escola, Daniela Rocha, além de manter a saúde física e mental da criança, a prática de uma atividade esportiva proporciona integração e promove a inserção na comunidade, o que ajuda na formação do cidadão consciente de direitos e deveres. “Especialistas apontam que crianças com estilo de vida sedentário, têm mais chances de adquirir doenças cardíacas, diabetes, obesidade ou outras doenças crônicas que aparecem na idade adulta, mas, conforme estudos publicados têm início na infância”, disse.

--

05 de abril de 2010 (segunda-feira)
Fonte: www.desaboya.com.br
Coluna: Caleidoscópio
PEQUENOS PRÍNCIPES

Encantados, alunos do Colégio Prince visitaram o famoso “Baobá do Poeta”, nome dada à gigante árvore onde o poeta, advogado e escritor Diógenes da Cunha Lima comprou um terreno para salvá-la, anos atrás.

Apenas vinte árvores dessa espécie estão catalogadas em todo País.

Nos Pernambucos estão dezesseis, três no Rio Grande do Norte uma no Ceará, outra no meu Rio de Janeiro.

Os nossos Baobás floram uma vez por ano, entre novembro e fevereiro, época em que exibem toda a sua rara beleza.

Rua Industrial João Motta, 1497, Capim Macio, Natal/RN

84 3642.2758

colegioprince@colegioprince.com.br